DENARC FAZ MAIOR APREENSÃO DE CRACK DO ANO EM MINAS; AÇÃO FOI REALIZADA NA ZONA RURAL DE MATOZINHOS

Mais de 72 quilos de crack e pouco mais de 2 quilos de cocaína foram apreendidos pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) em ação realizada na zona rural de Matozinhos, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Na ocasião, um homem, de 27 anos, foi preso por tráfico de drogas. Levantamentos indicam que o suspeito é reincidente nesse tipo de crime e bastante experiente.

As investigações iniciaram há cerca de dois meses, após a equipe do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc) receber informações sobre um possível distribuidor de drogas na região. Conforme explica o delegado Rodolpho Machado, o preso atuava como intermediário em uma organização criminosa, sendo responsável pelo esconderijo e a distribuição dos entorpecentes.

“Ele repassava para outros grupos para fazer a preparação em pequenas quantidades e vender nos pontos de crack”, conta Rodolpho sobre a atuação do suspeito, que abasteceria narcotraficantes da capital mineira e da RMBH.

Divulgação/PCMG

Com a localização do imóvel onde as drogas eram escondidas, policiais do Denarc realizaram buscas minuciosas e conseguiram arrecadar os entorpecentes escondidos no interior de um pequeno cômodo, abaixo de móveis e camuflados por uma cerâmica. A polícia acredita que a droga ficava estocada por, no máximo, um mês.

O delegado Rafael Horácio, chefe da Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico, explica a relevância da apreensão: “Se fosse comparar [o montante de crack apreendido] ao valor de mercado da maconha, seria referente a uma tonelada e meia da droga”.

O volume chama a atenção, já que uma unidade especializada como o Denarc costuma apreender até 5 quilos dessa droga, que tem saída rápida no mercado e pouco tempo de estocagem. As investigações prosseguem a fim de localizar o fornecedor dos entorpecentes, bem como demais integrantes da organização criminosa. A operação foi coordenada pela da 2ª Delegacia Especializada de Combate ao Narcotráfico (Decna).

error: