OPERAÇÃO DE COMBATE AO NARCOTRÁFICO DESTRÓI 5,3 TONELADAS DE MATERIAL NA REGIÃO METROPOLITANA DE BH

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e as forças de segurança atuantes em Minas Gerais apresentam, nesta sexta-feira, dia 25, os resultados da Operação Narco Brasil. As ações, capitaneadas pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), por meio da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), em parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do MJSP (Senad) e com as secretarias estaduais do país, aconteceram simultaneamente nas 27 unidades federativas brasileiras, de maneira inédita, e têm como objetivo o combate ao narcotráfico, com atividades preventivas, de inteligência e de repressão.

Ao todo, durante o mês de junho, foram aproximadamente 6 toneladas de entorpecentes retirados de circulação; 2,5 mil pessoas presas e apreendidas, sendo cumpridos cerca de 300 mandados de prisão, e mais de 170 mil procedimentos de fiscalização realizados apenas no território mineiro. Nesta quinta e sexta-feira (24 e 25/6), mais de 16 toneladas de substâncias ilícitas estão sendo incineradas por todo o Estado, conforme prevê a política nacional – um prejuízo de, no mínimo, R$16 milhões a R$20 milhões para as organizações criminosas. Somente na Região Metropolitana de Belo Horizonte, são 5,3 toneladas de material destruído.

Na avaliação do secretário adjunto de Justiça e Segurança Pública, Jeferson Botelho, a operação é uma manifestação da vontade brasileira de combater a compra e a venda de entorpecentes, conforme acordos firmados junto a órgãos internacionais. “O Estado organizado demonstra ter condições de debelar este que é o principal comburente da criminalidade violenta no Brasil, o tráfico de drogas. Esta é uma política pública interessante: trabalhar a prevenção, conscientizar a população a respeito desse esforço social contra um problema de saúde pública e repreender o crime”, explica.

Bernardo Carneiro/Ascom Sejusp

 

 

Integração

Em Minas, foi empenhada, desde o dia 1º, uma força-tarefa envolvendo Polícia Militar (PMMG), Polícia Civil (PCMG), Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Corpo de Bombeiros Militar (CBMMG), Exército Brasileiro (EB), Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem (DER-MG), Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG) e Subsecretaria de Atendimento Socioeducativo (Suase), coordenados pela Sejusp. As diligências fazem parte da 23ª Semana Nacional de Políticas sobre Drogas, em razão do Dia Internacional de Combate às Drogas, instituído pela Organização das Nações Unidas como 26 de junho.

Para o Superintendente Regional da Polícia Federal em Minas, Marcelo Salvio Rezende Vieira, a integração das forças policiais é fundamental na luta contra o crime organizado e leva maior sensação de segurança à sociedade. “O combate à criminalidade requer a constante união de esforços dos entes de segurança estatais, para que a efetividade das ações se sobreponha à evolução dos métodos empregados pelos criminosos, principalmente em searas tão sensíveis como a repressão ao tráfico”, ressalta.

Ascom/PRF

 

 

Policiamento ostensivo

Durante a Operação Narco Brasil, orientada pela área de inteligência, a PRF realizou ações operacionais nas rodovias federais, em diversas regiões mineiras. Conforme o inspetor Marcelo Silva Santana, chefe da Seção de Operações da Polícia Rodoviária Federal em Minas Gerais, “a sinergia que existe entre os órgãos de segurança pública em Minas Gerais traz muitos resultados positivos em benefício da população”. “A PRF está pronta para colaborar em ações integradas no Estado, cumprindo sua missão sempre de forma eficiente e proativa”, afirma.

Por sua vez, a Polícia Militar potencializou ações de caráter preventivo e repressivo, especialmente nas rodovias estaduais e federais delegadas, bem como no meio rural. Foram intensificados o cumprimento de mandados de prisão e busca e apreensão, a realização de abordagens a pessoas e a fiscalização de veículos. Em relação às ações preventivas, foram desenvolvidas, em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), atividades relacionadas à Semana Nacional de Políticas sobre Drogas, como palestras online, blitze e campanhas educativas.

Além das Regiões de Polícia Militar, a operação contou com apoio dos Comandos de Policiamento Especializado (CPE), de Policiamento Rodoviário (CPRv), de Policiamento de Meio Ambiente (CPMAMB) e de Aviação do Estado (COMAVE). “O trabalho integrado entre as forças de segurança e outros órgãos do Estado, por meio de ações preventivas e repressivas, tem contribuído para uma redução histórica da criminalidade no território mineiro, tornando Minas cada vez melhor para se viver e empreender”, destacou o comandante-geral da PMMG, coronel Rodrigo Sousa Rodrigues.

Divulgação/PMMG

Mandados cumpridos

No decorrer do mês, apenas a Polícia Civil realizou mais de 500 mandados de busca e apreensão no tocante ao tráfico. A título de exemplo, na quinta-feira (24/6), Dia D da Narco Brasil, o Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), sediado na capital mineira, cumpriu 15 mandados de busca e apreensão e 11 de prisão na cidade de Carmo da Mata, região Centro-Oeste do Estado. A ação contou com o apoio do Canil da PCMG e da Coordenação Aerotática (CAT).

O chefe da Polícia Civil de Minas Gerais, delegado-geral Joaquim Francisco Neto e Silva, destaca a relevância da missão de defrontar o narcotráfico. “Quando tratamos de combate às drogas, estamos falando de lutar contra o crime organizado e de evitar que famílias sejam vítimas desse processo crítico. Por isso, é tão importante que nosso trabalho seja intenso, íntegro e correto”, argumenta.

Bernardo Carneiro/Ascom Sejusp

 

Unidades prisionais

A Polícia Penal também impulsionou as buscas por substâncias ilícitas nas 194 unidades prisionais mineiras durante o mês de junho. No período, foram apreendidas 9,6 kg de maconha, 400 gramas de cocaína, 350 gramas de crack, 200 gramas de haxixe, mais de 450 selos de LSD e quase 260 selos de maconha sintética K4 por todo o Estado.

No Dia D (24/6), revistas simultâneas ocorreram nas 15 maiores unidades prisionais mineiras, de diferentes Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps), com o emprego de um efetivo superior a 1.500 policiais penais. Na ocasião, foram encontrados 40 selos de LSD, cinco comprimidos de ecstasy, cinco selos de maconha sintética K4, além de aparelhos celulares.

error: