TANATOPRAXISTA: O PROFISSIONAL QUE TRABALHA COM A MORTE – AS PROFISSÕES MAIS CURIOSAS DO MUNDO

Caro internauta, após uma semana intensa de produção, eu vim te mostrar o primeiro vídeo da série “AS PROFISSÕES MAIS CURIOSAS DO MUNDO”.  E a estreia já apresenta um conteúdo muito interessante: o processo de preparação de corpos para o velório, função desempenhada pelo tanatopraxista.

Eu fiquei positivamente surpreso durante a pré-produção deste vídeo, pois pensei que seria muito difícil obter a autorização para registrar imagens dentro de uma funerária. Desde o primeiro contato com a Funerária Santa Casa BH, fui recebido com muito profissionalismo e respeito pelo meu trabalho.

Após enviar um e-mail para a Faculdade Santa Casa, com o objetivo de pedir autorização para gravar durante uma aula do curso de Tanatopraxia, fui informado que, em virtude da pandemia, a instituição de ensino não está recebendo estudantes no momento. E quando pensei que a minha ideia de estrear com este tema não seria possível, recebi o contato do colega jornalista Laio Amaral, que trabalha no setor de comunicação do Grupo Santa Casa. Para a nossa alegria, ele sugeriu produzir o vídeo na Funerária Santa Casa.

A ideia do Laio foi incrível. Ele já levantou as fontes, agilizou a marcação e, no dia 16 de junho, fomos gravar. O cinegrafista Matheus Lima, que fez este primeiro trabalho comigo, foi o responsável pelas imagens e o tanatopraxista Alexandre Alberto, com muito profissionalismo, boa vontade e conhecimento técnico, conduziu a nossa visita por todos os setores da primeira funerária de Belo Horizonte, que atua há mais de 120 anos na capital mineira.

Logo na entrada, o Alexandre nos perguntou se tínhamos algum problema em ver pessoas falecidas. Não tenho, mas confesso que senti um frio na barriga ao entrar na funerária. A conversa foi iniciada na sala do colaborador da Funerária Santa Casa BH, que supervisiona toda a equipe e ministra aulas no curso de Tanatopraxia da Faculdade Santa Casa. Não existiria fonte melhor para este vídeo!

Com todos os cuidados necessários, usando máscaras e sem tocar em nada, iniciamos a gravação no pátio onde as vans estacionam para que os corpos sejam levados ao necrotério. O Alexandre nos mostrou como os veículos são adaptados para transportar os caixões e em seguida nos levou para a sala de espera, local onde as pessoas falecidas ficam até que toda a documentação seja liberada.

Em seguida, ele nos mostrou o local em que os corpos são preparados, com parte dos fluídos corporais trocados por substâncias químicas e onde são realizadas massagens para retirar a rigidez cadavérica – sim, algumas pessoas recebem a última massagem antes da despedida derradeira.

Quando chegamos, vimos dois pequenos caixões brancos. Era um feto e um bebê, que estavam sendo preparados para o enterro, sem velório. Preferi não mostrar, pois o objetivo não é criar sensacionalismo. E uma curiosidade que eu jamais imaginaria: partes do corpo também são enterradas em covas. Portanto, na prática, é possível que sejamos enterrados de maneira fracionada. É impressionante pensar nisso…

Depois passamos pelo setor onde é realizada a ornamentação, com vestimentas, flores, maquiagem e a acomodação na urna funerária. E depois, para o último local antes de falecido ser levado ao velório, a expedição.

Expresso aqui a minha gratidão à equipe do Grupo Santa Casa, principalmente ao Laio Amaral e ao Alexandre Alberto, que nos receberam com muito profissionalismo simpatia. E para você que leu até aqui, muito obrigado e espero que goste do vídeo.

Até a próxima!

error: