GOVERNO DE MINAS COMEÇA REFORÇO ESCOLAR; AULAS SERÃO PELO APP CONEXÃO ESCOLA 2.0

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEE/MG) começou, nesta segunda-feira, 19, o reforço escolar, estratégia voltada para estudantes que tiveram dificuldades em entregar o Plano de Estudo Tutorado (PET) ao longo do ano letivo de 2020 e que precisam consolidar conteúdos trabalhados durante o ensino remoto. A iniciativa contará com a participação de alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e do 1º ao 3º ano do ensino médio.

As primeiras turmas são formadas a partir dos resultados da avaliação diagnóstica e da devolução dos PETs no ano passado. A cada aplicação de avaliação em 2021 serão feitas novas análises para eventuais inclusões de novos estudantes e/ou encerramento da participação de outros que já tenham conseguido recuperar o aprendizado em defasagem.

As aulas de reforço consistem em um trabalho pedagógico mais individualizado e direcionado, incluindo novas práticas pedagógicas e metodologias de ensino mais dinâmicas e interativas. Cada escola pode organizar a melhor forma de oferecer as aulas. Os encontros virtuais podem acontecer no 6º horário ou no contraturno.

As aulas serão pelo aplicativo Conexão Escola 2.0. Nos casos em que o estudante não tiver acesso à internet, a escola deve disponibilizar as atividades preparadas pelo professor de forma impressa.

Para os ensinos fundamental e médio, serão oferecidas aulas de Língua Portuguesa e Matemática.

Contato com famílias

A SEE/MG encaminhou às Superintendência Regional de Ensino (SREs) uma planilha com os nomes dos estudantes que não entregaram o mínimo de 75% dos PET ao longo do ano letivo de 2020, incluindo o PET final avaliativo, e que apresentaram baixo rendimento na avaliação diagnóstica – Língua Portuguesa ou Matemática.

Com essas informações, os gestores escolares entraram em contato com as famílias, explicaram como funcionará o reforço e buscaram saber do interesse do estudante em participar. Para fazer o reforço é necessária a adesão da família.

Fonte: Agência Minas

error: