PF FAZ OPERAÇÃO CONTRA FURTOS NO AEROPORTO DE CONFINS

A operação “No Show” que investiga uma quadrilha que estava furtando lojas localizadas na área restrita de segurança do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, foi realizada pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira, 11.

De acordo com as investigações, o grupo atuava com uma suspeita que simulava uma viagem para ter acesso ao Free Shop, espaço com lojas de produtos importados que fica no interior da sala de embarque e desembarque. Os funcionários destes estabelecimentos enchiam uma mochila com objetos de valor considerável e a deixava no provador. A mulher ia até as lojas, pegava a mercadoria e saia tranquilamente pelo desembarque. Além da mulher, um outro suspeito que trabalhava no local utilizava das credenciais de acesso para também levar os produtos já separados.

A organização agia desde 2018 e teria provocado, aproximadamente, cerca de R$ 600 mil reais em danos. Foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão A pena pode chegar a 8 anos de prisão, para cada crime praticado.

Vale lembrar que o “no-show”, nome da operação, é um termo utilizado para quando um passageiro não aparece, deixa de embarcar ou perde um voo e não avisa à companhia aérea antecipadamente.

A BH Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional, informou em nota que “mantém o seu compromisso com a transparência e seguirá apoiando a Polícia Federal sempre que for solicitada”

 

 

 

error: